A Medicina Chinesa e as Cinco Formas de Energia e Tratamento (1/2)

Quando pensamos em Medicina Chinesa pensamos primeiramente em energia. Na natureza existem cinco formas de movimentos de energia que são a base da Medicina Tradicional Chinesa, ou seja: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água. Estas, por sua vez, representam tudo o que existe no universo e a interação entre o micro e o macrocosmo.

Essas cinco formas estão relacionados aos elementos e estes aos nossos órgãos e vísceras e cada um deles possui um sentimento. Através da análise destes detectamos o nosso nível de energia, de saúde ou de doença. Cada conjunto de sintomas, bem como as nossas emoções, nosso comportamento, inclusive a nossa alimentação estão diretamente relacionados ao equilíbrio energético desses õrgãos. Um sentimento e uma emoção não é visto como um fator isolado, assim como o ambiente, nosso estado físico e emocional em relação ao mundo e a nossa personalidade são fatores que também influenciam diretamente no que desejamos comer, fazer, etc e tal.

Sobre a questão de qualidade de vida e tipos de alimentos, vamos utilizar o chocolate como exemplo. Podemos defini-lo como um bom alimento pois é extremamente eficaz em função de energia. Faremos agora suaa análise energética de acordo com a Medicina Chinesa. Na Medicina Oriental a alimentação se baseia em se comer das 5 cores, dos cinco sabores e dos cinco elementos. Comer de tudo um pouco proporciona e sugere equilíbrio.

Quando o nosso organismo procura alimentos doces é para suprir uma carência ou controlar um excesso. O chocolate, considerando-o um alimento doce, energeticamente falando é um alimento que proporciona energia rapidamente. Ligando-o ao sentimento, os alimentos doces são ingeridos com o intuito de aliviar a emoção do medo, e isso acalma o coração.

Veja mais: o doce está ligado ao baço/pancreas e os mesmos estão ligados ao elemento terra que na cadeia de compensação energética a terra controla a madeira que alimenta o fogo (segue abaixo uma tabela para quem se interessar). Fogo é o coração, portanto o alimento doce acaba por tonificar o coração. Além disso o nosso coração está ligado à mente, o que direta/indiretamente acalma também a nossa mente.

Dentro do nosso cérebro a região que é ativada nas práticas de relaxamento e meditação é a mesma relacionada ao sexo, desejos e prazeres, que quando ativada libera uma substância chamada de endorfina que acalma o nosso organismo. A função do chocolate, portanto, é ajudar a acalmar o nosso medo e controlar o nosso coração e os nossos sentimentos, portanto não se trata de uma mera vontade simplesmente, mas de uma necessidade real de suprir o nosso organismo da falta de um determinado tipo de energia e/ou de compensar o seu excesso.

Veja Também (na internet)

ÂNGELA DA SILVA FREITAS RAMOS - Enfermeira graduada pela PUC-SP, 1985, especialização em Saúde Pública, Medicina Chinesa e Técnicas Orientais. Acupunturista, Consultora de Feng Shui, Astróloga, Numeróloga, Instrutora de Artes Marciais Orientais. Membro da AMECA - Associação de Medicina Chinesa e Acupuntura do Brasil, da Associação Tai Chi Pai Lin, da CEMETRAC - Centro de Estudos de Medicina Tradicional Chinesa e da STB - Sociedade Taoísta do Brasil. Troféu Vênus em Maio 2003 - Dia Internacional da Mulher - pelo trabalho com a Medicina Oriental * Sorocaba/SP * (15) 3231-9644 / 3011-9706 / 9722-5410 * angela-freitas@uol.com.br * http://www.angela-freitas.com
Papelaria - Submarino.com.br Papelaria - Submarino.com.br

Hospedagem

  

Loja Leve